Projeto "Artes gregas: dos vasos aos palcos" [Exposição]

Tudo começou quando resolvemos montar uma árvore genealógica dos (principais) deuses gregos, segundo Hesíodo. Logo em seguida, as três turmas demonstraram interesse em realizar atividades semelhantes, individualmente e em grupo. Nada melhor do que artes plásticas e "teatro". Para entender melhor o projeto e todo o seu processo, clique aqui!




12 peças gregas em 3 atos: interpretação corporal e legendas poéticas*

TRAGÉDIAS

Prometeu acorrentado, de Ésquilo.

Prometeu roubou o fogo dos deuses e se escondeu
Então, dá para os mortais, os humanos insanos, 
Por causa disso, um ato ilícito, ele é condenado
Por Zeus, o eterno deus.

Mas Prometeu guarda um segredo que
ameaça o reinado de Zeus, o eterno deus.
Zeus manda Hefesto acorrentar Prometeu, 
Que sempre se escondeu.

Numa pedra, sobre a supervisão de Cratos,
que sabia de todos os fatos,
as jovens primas de de Prometeu, 
o coro, lamentavam o que aconteceu,

Prometeu, que sempre se escondeu, 
é condenado a pena de ter,
todos os dias, um urubu,
comendo seu fígado cru.

[Giovanna Parigi]


Sete contra Tebas, de Ésquilo.

Um reino e um trono
e dois irmãos a brigar
quem será o dono?
É isso que eu vou contar!

Com medo da previsão
os dois irmãos resolveram guerrear
para o trono conseguir governar.
Então, uma expedição iria começar.

Filhos de Zeus lutavam sim, 
mas por uma coroa sem fim.

Tempos depois, os filhos dos sete chefes 
retornaram à Tebas para vingar a morte dos seus, 
pois à exceção de Adrasto, haviam morrido.

[Produção coletiva]


Medeia, de Eurípedes.

Tudo começou com Medeia
 com seu amor por Jasão quase louco
e com sua ajuda
para salvá-lo dos touros.

Jasão, os soldados de dente
de dragão, teve que enfrentar
Medeia, apaixonada,
prontificou-se a ajudar.

Medeia muito ciumenta
pela traição queira se vingar
deu um presente envenenado
para a mulher com quem Jasão ia casar

Abandonada por Jasão,
Medeia ficou enlouquecida.
Então, por capricho,
matou os filhos que com ele tinha.

[Júlio César]


Hécuba, de Eurípedes.

Hécuba foi esposa de Príamo,
De Troia foram sua rainha e seu rei
Para os gregos perderam o seu trono
E teve de se submeter a sua lei.

O fantasma de Aquiles sua filha exigiu
Polixena para em sua tumba sacrificá-la
Também a princesa, a morte à escravidão, preferiu,
E para Odisseu, Hécuba teve de entregá-la.

Então, outra tragédia aconteceu
Morto por Polimestor, rei da Trácia,
Também seu filho Polidoro perdeu,
Para aquele, que ele e seu tesouro, ela havia confiado.

Hécuba, em suas mãos a vingança toma,
Polimestor e seus filhos a sua tenda atraiu
E de quem, com a ajuda de suas companheiras,
Os olhos arrancou e ao resto matou.

[Gabriel Sposito]


Antígona, de Sófocles.

A história que vou contar
não é da Idade Média.
Vem lá da Grécia Antiga.
Na verdade, é uma tragédia.

Antígona é a personagem
filha de Édipo e Jocasta.
Aborda amor e leadade
contado pelo grego Sófocles.

Antígona dá ao irmão morto
o que diz a lei divina:
um sepultamento honrado
como os deuses determinam.

O castigo de Antígona
é morrer emparedado.
Será enterrado vivo
por sua audácia atirada.

Com essa tragédia, Sófocles
mostra uma grande questão:
qual das leis tem primazia:
as humanas ou as da religião?

[Geovane Henrique]


Édipo Rei, de Sófocles.

Oh, geração dos mortais! Pobre Édipo,
mas que desgraça te apanhou!
Destruistes teu pai, maculaste teu leito,
deitaste com tua mãe!

Os filhos que te davam
eram também teus irmãos.
Até que chegou o tempo
da funesta reviravolta.

Oh, antigos habitantes de Tebas!
Vides esse homem, que sabia resolver enigmas
e alcançou aos pícaros da glória e do poder,
e em que desgraça caiu!

E eis porque não devemos
julgar, feliz, um mortal
antes de haver assistido
ao último dia de sua vida!

[Pedro Ishida]


COMÉDIAS

As vespas, de Aristófanes.

Ele pensava que era bom juiz
mas estava sendo enganado
seu filho o avisava
mas ele não acreditava.

O primeiro tem uma paixão
a paixão dele é julgar
faz loucuras se não for ao tribunal
não dorme, doge, escapa sem parar!

Um dia seu filho muito esperto
trancou-lhe em seu casarão
para o pai ficar justo e honesto
deixou-lhe casas de baixo calão.

Ele pensou que todos eram tolos
até que foi descoberto por quem ele roubava
depois o juiz passou a acreditar
em que seu filho falava.

Fale tanto que quiser
um dia você perceberá
toda essa sujeira que terá
terá de se lavar!

[Produção coletiva]


As nuvens, de Aristófanes.

Nuvens, lindas nuvens
Nuvens movendo-se como força de Zeus
de braços abertos, bem abertos,
nos dando força, muita força.

Lá estavam elas, brancas,
brancas como plumas.
Aconchego dos céus.
Altas, médias e baixas.

Nuvens claras como neve.
Dançam, dançam e dançam.
Rebolam, rebolam, rebolam.
Provocando os trovões.

Nuvens passageiras, com elas vêm as chuvas.
Cantam, cantam, dando vida a todos nós.
Lindas gotículas de cristais.
Nuvens, nuvens, que bela estais.

[Gustavo Gonsalez]


A Revolução das Mulheres, de Aristófanes.

As mulheres na política era motivo de riso
pensando que elas que mandavam
os homens ficavam rindo sem parar

As mulheres não podem votar
porque só os homens são poderosos
e podiam em tudo mandar

A comédia das mulheres votarem
era que os poderosos não consideravam
as mulheres capacitadas.

As mulheres não eram consideradas cidadãs
vemos até o dia de hoje o machismo
que surgia, provavelmente, na Grécia Antiga.

[Produção coletiva]


Lisístrata, de Aristófanes.

Na Grécia, atenienses e espartanos
trovavam uma guerra.
As mulheres,
que tem seus maridos longe de casa,
tentam dar um jeito 
de trazê-los de volta.

Uma mulher ateniense tem a ideia de fazer algo
que faça os maridos voltarem para as suas casas.
Nada mais do que uma greve.

[Camila Nery]


As aves, de Aristófanes.

Os homens de Atenas
em busca de sua independência
tiveram a qualquer custa
de mudar sua aparência.

Na situação em que estavam
tudo parecia muito grave
seguindo os seus sentidos
transformaram-se em belas aves.

É assim o homem
quando aprecia o luar:
vem aquele sentimento
de como seria voar.

[Maria Eduarda]


As rãs, de Aristófanes.

Dioniso estava aflito
Na antiga Grécia não haviam poetas trágicos
Por isso, com ajuda de seu escravo Xântias,
vai ao submundo!

Ao chegar ao inferno,
Dioniso entrega suas moedas a Caronte
Viajando na barca de Caronte
encontra rãs que dizem onde estão os poetas.

Éaco será o juiz de uma batalha
vendo Dioniso o * com Héracles
assim fazendo ele trocar de roupa
com seu escravo Xântias.

Ésquilo batalhou com Eurípedes,
na luta Eurípedes, um persa, venceu.
nos poemas Ésquilo acaba vencendo,
assim Xântias decide levar Ésquilo, o mais humilde dos dois.

[Gustavo Freitas]


Compartilhando um pouco da exposição...








Nenhum comentário:

Postar um comentário